Livro

LANÇAMENTO !!! Meu livro “Informática para Concursos – Teoria e Questões”, 3a edição, editora FERREIRA. Link http://www.editoraferreira.com.br/informatica/Informatica-para-Concursos

18 de agosto de 2013

Prova Especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental 2013


28- Assinale a opção correta relativa a estratégias de projeto.
a) A Terceirização deve ser usada quando a necessidade operacional não é essencial para a empresa.
b) A Terceirização deve ser usada quando há desejo de desenvolver qualificações internas.
c) O Sistema Pop-up deve ser usado quando existe experiência funcional interna.
d) O Desenvolvimento Personalizado deve ser usado quando há priorização para desenvolvimento de qualificações externas.
e) A Terceirização é o mesmo que Descentralização Funcional.
A terceirização deve atender a uma necessidade existente e sua implantação deve ser decorrência de uma avaliação racional sobre sua validade e não decorrência de modismo gerencial ou simplesmente atender ao desejo de alguém. As razões que normalmente justificam a terceirização são :
Indisponibilidade de capital - o fato de tercerizar algumas atividades pode reduzir as necessidades imediatas de capital;
Falta de know how - justifica-se quando há insuficiente  competência interna para as condições de competitividade do mercado, a terceirização pode ser um meio de suprir ou desenvolver mais rapidamente as competências; 
Flexibilidade - a necessidade de respostas rápidas às solicitações do mercado pode ser suprida por terceirização;
Evitar capacidade ociosa - uma decisão de investimentos para ampliação de capacidade é decidida quando uma utilização mínima dos recursos patrimoniais está planejada, enquanto essa condição não for atingida, a terceirização da produção é uma alternativa;
Economia de escala - quando fabricantes independentes atingem elevado nível de produção de componentes para fornecimento a várias empresas, obtém economia de escala que justifica-se a terceirização. Ex : HP costumava produzir suas placas de circuito impresso, hoje terceiriza;
Surgimento de um mercado eficiente de fornecedores - quando o mercado oferece serviços eficientes justifica-se a terceirização . Ex: frotas próprias de transporte.
Limitação de recursos: especialmente no caso de recursos administrativos
A par das necessidades acima mencionadas que podem justificar a terceirização há inconvenientes potenciais que podem surgir em decorrência do fato de terceirizar, que também devem ser pesados para fins de tomada de decisão.  Os principais são :
Perda de know how:  talvez o termo mais correto seja oportunizar que outros desenvolvam know how superior. Na década de 80 inúmeras empresas americanas contrataram fornecedores asiáticos como forma de reduzir seus custos de produção. Esses fabricantes tornaram-se sérios concorrentes.
Custos da transação: o tempo e os recursos necessários para negociar a terceirização e depois gerenciá-la podem ter efeito negativo sobre o resultado geral da atividade empresarial.



29- Assinale a opção correta relativa a tipos de tomada de decisão do gerente de projeto.
a) Focalizada: todos os membros da equipe contribuem para a decisão.
b) Diretiva: o gerente decide com pouca interferência de membros da equipe.
c) Consultiva: as decisões sugeridas pelos membros da equipe constituem um instrumento de uso exclusivo em suas respectivas áreas.
d) Participativa: cabe a cada membro da equipe exclusivamente endossar a decisão do gerente.
e) Progressiva: o gerente analisa de forma consultiva as decisões sugeridas pelos membros da equipe.

A tomada de decisão foi incluída como uma habilidade interpessoal do gerente de projeto recentemente. A tomada de decisão, que é muito ligada ao conceito de risco pelo nível de incerteza intrínseco, possui um segmento prescritivo, com modelos, procedimentos e técnicas, e um segmento descritivo, que identifica como as decisões realmente são tomadas; sendo o primeiro segmento mais abordado em projetos. Em pesquisa recente, percebemos que o percentual de avaliações incorretas de riscos ainda é alto, assim como o nível de insucesso dos projetos. A estruturação da tomada de decisão tem dois aspectos que a torna complexa: os vieses e heurísticas individuais e o baixo grau de estruturação do mundo real, com incertezas, informações imprecisas e fragmentadas. A tomada de decisão é feita em reuniões e conversas, e depois formalizada dentro de rotinas e rituais organizacionais. Esta abordagem também está ligada a teoria prescritiva da tomada da decisão, que visa identificar modelos e práticas para se obter uma decisão ótima para um problema.



30- O desenvolvimento de software ocorre segundo as fases de Planejamento, Análise, Projeto e Implementação. Com relação às respectivas etapas, é correto afirmar:
a) Testar Flexibilidade dos Programas pertence à fase Planejamento.
b) Determinar Requisitos da Empresa pertence à fase Planejamento.
c) Checar Programas pertence à fase Análise.
d) Projetar Programas pertence à fase Implementação.
e) Criar Equipes de Projeto pertence à fase Planejamento.

Detalhamento do desenvolvimento de sistemas de informação
Para o desenvolvimento dos Sistemas de Informação, é necessário um grande entendimento e detalhamento da composição de um projeto. Este entendimento e detalhamento vem ao encontro dos modernos conceitos de Engenharia de Software, qualidade e produtividade de projetos.

Fases preparatórias ao desenvolvimento do sistema de informação
Antes de chegar à metodologia propriamente dita, é necessária a compreensão das fases preparatórias:
A. Conceitos gerais
Deverão ser analisados e amplamente discutidos os conceitos de sistemas, software, engenharia de software, crise e anti-crise de sistemas, a importância de uma metodologia estruturada de desenvolvimento de sistemas, diferenças entre métodos (roteiros de como fazer), ferramentas (técnicas para sustentar os métodos) e procedimentos da engenharia  de software e sistemas (elo que liga o software às atividades que antecedem e sucedem o sistema), etc.
B. Ciclos de sistemas
Abordam os conceitos de ciclos de desenvolvimento, de vida e de manutenção de sistemas, bem como, as condições de reusabilidade.
C. Planejamento de sistemas
Contempla o estudo, entendimento  e formalização da missão, políticas, modelo de gestão e estratégias de tecnologia da informação da empresa, incluindo a relação do Sistema de Informação com o planejamento estratégico empresarial, planejamento estratégico de informações e planejamento de tecnologia da informação.
D. Qualidade e produtividade em sistemas de informação
Conceituar e valorar estes requisitos para aplicar no projeto de desenvolvimento de Sistemas de Informação, incluindo ainda, o perfil
profissional, postura e responsabilidades dos envolvidos.

Fases do detalhamento do desenvolvimento do sistema de informação
Após compreendida e formalizada a metodologia, é necessário o detalhamento para desenvolvimento dos Sistemas de Informação, compreendendo as fases:
A. Técnicas de levantamento de dados para os sistemas
Contemplam as subfases de planejamento ou  preparação, de levantamento ou realização, de análise dos dados ou interpretação e de documentação ou conclusão;
Possibilita o uso da técnica de observação pessoal, questionário, entrevista, seminário / dinâmica de grupo, pesquisa e mista;
Determina claramente os requisitos funcionais através da análise dos requisitos;
Documenta a atividades utilizando-se de recursos gráficos (diagramas de fluxo de dados, de objetos, fluxogramas e organogramas) e de ferramentas técnicas, como  por exemplo, a descrição narrativa e as linguagens estruturadas (português logicamente compacto, português estruturado e pseudocódigo).
B. Técnicas de diagramação dos sistemas
Permitem por opção utilizar diversas técnicas e ferramentas de diagramação, tais como, a análise convencional (com fluxogramas), análise estruturada (com diagramas de fluxo de dados), a análise orientada à objetos (com diagramas de objetos), a análise essencial (com diagramas de essências do sistema), entre outras como, análise por pontos de função, diagramas de entidade-relacionamento, diagrama Pert e Cpm, diagramas de Warnier, CAD, CAM, CASE, etc.
É fundamental a elaboração completa do Dicionário de Dados, que relata a descrição das entidades externas, fluxo de dados, depósito de dados, os processos ou objetos, ou essências.
C. Especificação da lógica dos processos dos sistemas
Contemplam o desmembramento, descrição do dicionário de dados e o refinamento dos requisitos funcionais do software, utilizando como opções as técnicas de descrição narrativa, árvores de decisão, tabelas de decisão, português estruturado, português logicamente compacto e pseudocódigo, incluindo para tal, as normas e padrões técnico-operacionais.
D. Projeto de entrada e saída de dados dos sistemas
São elaborados os respectivos esboços (na fase de Projeto Lógico) e o layout final (na fase de Projeto Físico), definindo padrões para telas e relatórios, incluindo codificação (A, X, 9), cabeçalhos, rodapés, etc.
E. Projeto dos arquivos e base de dados dos sistemas
Também são elaborados os esboços dos projetos de arquivos (na fase de Projeto Lógico) e layout final dos depósito de dados, tabelas, registros, índices e chaves (na fase de Projeto Físico), incluindo padrões, simplificação e normalização.
F. Projeto de engenharia dos programas dos sistemas ou execução
Com base no dicionário de dados, na descrição lógica dos processos, nos objetivos de entradas e saídas, na estrutura de hardware, sistema operacional, linguagem fonte  de programação e em programas auxiliares (jcl, shell, batch, etc.), são elaborados os programas de computador, quando for o caso;
Deverão ser obedecidos os critérios de reusabilidade, qualidade e produtividade;
Também caracterizado pela fase de execução do Sistema de Informação.
G. Projeto de testes dos sistemas
Contemplam as atividade de planejamento (objetivos,  fluxos, resultados, equipe técnica  e usuária, seleção dos dados construídos e reais) para utilização dos tipos de testes (amostragem, sistemático, simulado e automatizado), com critérios de depuração e iniciando pelas rotinas  e/ou módulos, depois programas (se for o caso), sistemas e suas respectivas integrações sistêmicas.
H.  Projeto de documentação dos sistemas
Documentam todas as fases do desenvolvimento desde a concepção até a implantação final, contemplando o Manual do Sistema e/ou Software (com objetivos, descrição, conceitos, diagramas, fluxo do sistema, controle de segurança e acesso, lógica, fluxos, procedimentos, programas, etc.), Manual do Cliente e/ou Usuário e Operacional e como opcional o Manual Organizacional.
I. Projeto de implantação dos sistemas
São elaboradas as atividades de planejamento (objetivos,  fluxos e resultados, equipe técnica  e  usuária, cronogramas, finalização de treinamento, finalização de documentação técnica, finalização do Manual do Cliente e/ou Usuário e pós-implantação), incluindo a conversão da base de dados, e com as modalidades de implantação (direto, paralelo, piloto e parcial).
J. Tempos e custos do sistema
Devem determinar os tempos e custos para o desenvolvimento dos Sistemas de Informação, compreende as fases de análise de custos e benefícios, análise de viabilidade e de risco, planejamentos e cronogramas, incluindo Planos de Trabalhos coletivo e individual (prioridade, atividade, datas e status), determinando os custos principais (hardware  e  software de base, recursos humanos, serviços externos, treinamento  e  capacitação e plano de contingência).
Fonte livro:
Titulo: Engenharia de Software e Sistemas de Informação.
Denis Alcides Rezende
Editora Brasport - RJ - 1999 - 324p.




31- Assinale a opção correta relativa a requisitos a serem observados no desenvolvimento de um sistema.
a) Um requisito funcional se relaciona diretamente às ações comportamentais que o sistema tem de executar.
b) Requisitos não-funcionais referem-se às características do comprometimento entre usuários que o sistema deve possuir.
c) Um requisito é uma declaração do que o sistema deve ser ou quais características ele precisa possuir.
d) Um requisito é uma estrutura lógica que o sistema requer dos usuários para executar suas funções.
e) Requisitos não-funcionais referem-se às restrições comportamentais decorrentes do não funcionamento do sistema.
Análise e Especificação de Requisitos: Nesta fase, o processo de levantamento de requisitos é intensificado. O escopo deve ser refinado e os requisitos identificados. Para entender a natureza do software a ser construído, o engenheiro de software tem de compreender o domínio do problema, bem como a funcionalidade e o comportamento esperados. Uma vez identificados os requisitos do sistema a ser desenvolvido, estes devem ser modelados, avaliados e documentados. Uma parte vital desta fase é a construção de um modelo descrevendo o que o software tem de fazer.



32- O Gerente de projeto
a) deve possuir habilidades para elaboração de orçamentos, para desenvolver programas, para instanciação e influência, para liderança, para formação e motivação de equipes.
b) é responsável pela administração dos bancos de dados envolvidos e pelo desenvolvimento de ferramentas e técnicas necessárias ao cumprimento das atividades do projeto.
c) é responsável pela administração estratégica da organização e pelo desenvolvimento de técnicas de recrutamento necessárias à formação das equipes do projeto.
d) deve possuir habilidades para auditoria de orçamentos, para resolução de conflitos, para negociação e ingerência, para liderança e para mobilização de usuários.
e) é responsável pela administração dos processos envolvidos e pela aplicação das ferramentas e técnicas necessárias ao cumprimento das atividades do projeto.
Um gerente de projetos é um profissional no campo de gerência de projetos que tem a responsabilidade de planejar e controlar a execução de projetos em diversas áreas de atuação. É o profissional responsável pela condução do projeto e deve contar com o respaldo de patrocinadores (sponsors, segundo a nomenclatura PMI), normalmente indivíduos que estejam fora do projeto a ser executado. O gerente e sua equipe de projetos planejam e coordenam o desenvolvimento do projeto colhendo métricas, suprindo necessidades, recrutando recursos adequados e mantendo o foco na meta de projeto, além de: estar sempre alerta, mas não avesso a mudanças; ser sensível a aspectos políticos: os interesses dos Stakeholder nem sempre convergem; agendar reuniões, acompanhar o treinamento, avaliar o desempenho de sua equipe e mantê-la motivada, resolvendo conflitos.



33- Assinale a opção correta.
a) O patrocinador do projeto, geralmente um executivo na organização com autoridade para liberar recursos e impor decisões relacionadas ao projeto, é um stakeholder.
b) O patrocinador do projeto, geralmente um executivo de uma instituição financeira, necessita de conhecimentos de Tecnologia da Informação.
c) O patrocinador dos programas é um stakeholder no âmbito dos mantenedores de recursos computacionais.
d) O interlocutor do projeto, um executivo na organização com conhecimentos jurídicos relacionados ao projeto, é um membro consultivo.
e) O patrocinador do projeto deve atuar de forma independente em relação a todos os stakeholders.

STAKEHOLDER
Partes interessadas no projeto / Project stakeholders
São pessoas ou organizações ativamente envolvidas no projeto (exercendo influência positiva ou negativa) ou cujos interesses podem ser afetados como resultado da execução ou do término do projeto.
Existirão, naturalmente, várias escalas de autoridade e responsabilidade para as partes interessada (stakeholders) dentro de um projeto, podendo variar durante o ciclo de vida do mesmo.
Partes interessada (stakeholders) podem influenciar o projeto de duas formas:
√ Positivamente
Serão beneficiados pelos resultados obtidos pelo projeto, enxergando que suas necessidades e expectativas serão atendidas. São os apoiadores do projeto.
√ Negativamente
Não se beneficiarão dos resultados obtidos, enxergando resultados insatisfatórios a partir do término do projeto. Dependendo do poder e da influência, são sabotadores em potencial do projeto.
A equipe de projeto deverá corresponder às necessidades e manter o nível de satisfação dos apoiadores, evitando que se transformem em sabotadores.
Segundo o PMBOK, esses são alguns dos principais partes interessada (stakeholders) em um projeto:
Gerente de projetos. Pessoa responsável pelo gerenciamento do projeto.
Cliente/usuário. Pessoa ou organização que utilizará o produto do projeto. Podem existir várias camadas de clientes. Por exemplo, os clientes de um novo produto farmacêutico podem incluir os médios que o receitam, os pacientes que o utilizam e as empresas de saúde que pagam por ele. Em áreas de aplicação, os termos cliente e usuário são sinônimos, enquanto em outras, cliente se à entidade que adquire o produto do projeto e usuários são os que utilizarão diretamente o produto do projeto.
Organização executora. Empresa cujos funcionários estão mais diretamente envolvidos na execução do trabalho do projeto.
Membros da equipe do projeto. Grupo que está executando o trabalho do projeto.
Equipe de gerenciamento de projetos. Membros da equipe do projeto que estão diretamente dos nas atividades de gerenciamento de projetos.
Patrocinador. Pessoa ou grupo que fornece os recursos financeiros para o projeto.
Influenciadores. Pessoas ou grupos que não estão diretamente relacionados à aquisição ou ao produto do projeto mas que, devido à posição de uma pessoa na organização do cliente ou na organização executora, podem influenciar (positiva ou negativamente) o andamento do projeto.
PMO (Escritório de Projeto / Project Management Office). Se existir na organização executora, o PMO poderá ser uma parte interessada se tiver responsabilidade direta ou indireta pelo resultado do projeto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário