Livro

LANÇAMENTO !!! Meu livro “Informática para Concursos – Teoria e Questões”, 3a edição, editora FERREIRA. Link

http://www.editoraferreira.com.br/informatica/Informatica-para-Concursos

5 de novembro de 2013

Prova SEJAZ/RJ 2013 cargos: Agente de Fazenda e Oficial de Fazenda

Cargo Agente de Fazenda

36. Existem três categorias de dispositivos que são integrados à configuração dos microcomputadores. A primeira inclui dispositivos utilizados exclusivamente na entrada de dados para processamento pela CPU; a segunda, outros empregados exclusivamente na saída; a terceira, engloba periféricos que podem ser utilizados na entrada e também na saída de dados, desde que em momentos distintos. Exemplos desses dispositivos, um de cada categoria, são respectivamente:
a) teclado, impressora multifuncional e plotter         
b) pendrive, impressora multifuncional e teclado
c) plotter, impressora laserjet e scanner                     
d) scanner, impressora laserjet e pendrive

Periféricos
Equipamentos que interagem com placa mãe.  São classificados, e somente eles, em:
Entrada de dados
Teclado; mouse; scanner; Web Cam;  leitora ótica; microfone.
Saídas de dados
Impressora; vídeo; alto falante; traçador gráfico (PLOTTER).
Entrada e saída dados
Drives; vídeo sensível ao toque; Pen Drive; MODEM.
Atenção: Multifuncional é classificada pelas máquinas que a compõe; scanner é periférico de entrada, impressora periférico de saída, fax e copiadora acessórios.
Suprimentos
Suprir as necessidades dos periféricos. Exemplos: disquete, fita, CD, papel para impressora, tinta para impressora.
Acessórios
Presta uma acessória aos periféricos e o computador.  Exemplo: Câmera Digital, fax e copiadora acessórios da impressora multifuncional.


37. O Windows 7 BR disponibiliza diversos atalhos de teclado para uso na interação com o sistema, sendo dois deles caracterizados a seguir.
I - permite alternar o acesso entre programas que estejam abertos e em execução de forma concorrente, por meio da escolha do programa desejado em uma janela de diálogo.
II - permite abrir a janela do menu Iniciar Essas duas caracterizações correspondem, respectivamente, aos seguintes atalhos:
a) Alt + Tab e Ctrl + Home               
b) Alt + Tab e Ctrl + Esc
c) Alt + Del e Ctrl + Esc                    
d) Alt + Del e Ctrl + Home

ALT+DELETE
Exibe o menu do Windows.
ALT+TAB
Alternar entre itens abertos
CTRL+ESC
Abrir o menu Iniciar
CTRL+Home
 Volta ao início do documento aberto


38. Durante a digitação de um texto no Word 2010 BR, um Agente de Fazenda executou o atalho de teclado Ctrl + = com a seguinte finalidade:
a) aumentar tamanho da fonte                       
b) aplicar subscrito a uma seleção
c) diminuir o nível de recuo do parágrafo     
d) alterar o espaçamento entre as linhas do texto
CTRL + = - Subscrito. Texto: Agente de Fazenda, depois do atalho, Agente de Fazenda


39. A planilha abaixo foi criada no Excel 2010 BR.
Em E5, foi inserida uma expressão para determinar o menor número entre todos no intervalo de A3 a E3. Para isso, o Excel 2010 BR oferece as funções MENOR e MÍNIMO, que levam ao mesmo resultado. As sintaxes para o emprego correto dessas funções na célula E5 são, respectivamente:
a) =MENOR(A3:E3;1) e =MÍNIMO(A3:E3)         
b) =MENOR(A3:E3) e =MÍNIMO(A3:E3)
c) =MENOR(A3;E3) e =MÍNIMO(A3:E3;1)         
d) =MENOR(A3;E3:1) e =MÍNIMO(A3:E3;1)

Questão como essa gosto de resolver no computador, então:

a) =MENOR(A3:E3;1)
e =MÍNIMO(A3:E3)


40. A planilha abaixo foi criada no Excel 2010 BR.
Na planilha, em C7 e C9 foram inseridas expressões que usam a função SOMASE, abordando as duas seguintes situações:
• ALFA representa a soma das comissões para valores de propriedade acima de R$160.000,00, mostrada na célula C7.
• GAMA representa a soma das comissões para valores de propriedade maiores do que o valor em C2, mostrada na célula C9.
As expressões inseridas em C7 e C9 foram, respectivamente:
a) =SOMASE(B2:B5;”>160000";A2:A5) e  =SOMASE(B2:B5;”>”&C2;A2:A5)
b) =SOMASE(B2:B5;”160000";A2:A5) e  =SOMASE(A2:A5; “>”$C2;B2:B5)
c) =SOMASE(A2:A5;”>160000";B2:B5) e =SOMASE(A2:A5;”>”&C2;B2:B5)
d) =SOMASE(A2:A5;”>160000";B2:B5) e =SOMASE(B2:B5;”>”$C2;A2:A5)

Questão como essa gosto de resolver no computador, então:

c) =SOMASE(A2:A5;”>160000";B2:B5)

e =SOMASE(A2:A5;”>”&C2;B2:B5)




Cargo Oficial de Fazenda

71. Um Sistema de Informação tem por objetivo armazenar, tratar e fornecer informações de tal modo a apoiar as funções ou processos de uma organização. Existem diversos tipos de sistemas de informações, dos quais dois são caracterizados a seguir:
I - sistemas que têm por objetivo unir os diversos sistemas transacionais de uma organização, permitindo integrar os departamentos, de forma a agilizar processos e ainda gerar o Just-in-time;
II - sistemas que têm por objetivo agilizar a tomada de decisões sem onerar bases transacionais, sendo constituídos de uma base de dados centralizada OLAP, preenchida com dados copiados a partir de bases remotas e distribuídas OLTP.
Esses dois sistemas são conhecidos, respectivamente, como:
a) de Gestão Empresarial Integrada e de Workflow
b) de Gestão Eletrônica de Documentos e de Workflow
c) de Gestão Empresarial Integrada e de Database Marketing
d) de Gestão Eletrônica de Documentos e de Data Warehouse
e) de Gestão Empresarial Integrada e de Data Warehouse
Onde:
Just in time é um sistema de administração da produção que determina que nada deve ser produzido, transportado ou comprado antes da hora exata. Pode ser aplicado em qualquer organização, para reduzir estoques e os custos decorrentes.
Sistemas Integrados de Gestão Empresarial (SIGE ou SIG) ou Enterprise Resource Planning (ERP) , são sistemas de informação que integram todos os dados e processos de uma organização em um único sistema. A integração pode ser vista sob a perspectiva funcional (sistemas de: finanças, contabilidade, recursos humanos, fabricação, marketing, vendas, compras etc) e sob a perspectiva sistêmica (sistema de processamento de transações, sistemas de informações gerenciais, sistemas de apoio a decisão etc).


72. No que diz respeito à segurança na internet, um termo está associado à forma mais comum de roubo de identidades online, sendo uma técnica de obtenção de informações pessoais, geralmente mediante e-mail fraudulento. Na maioria das vezes, essa fraude ocorre por meio do envio de e-mails que parecem originários
de empresas fidedignas e legítimas, com aparência oficial e logotipo. Esse termo é denominado:
a) phishing
Alusão à palavra "fishing", que, em innglês, significa pescando. Consiste no crime virtual da distribuição em massa de mensagens de e-mail com links para falsos sites de instituições bancárias com pedidos de atualização de dados do correntista. O correntista ingênuo, após atualizar seus dados, terá, num futuro próximo surpresas em sua conta. Para o FBI o "phishing" é uma das ações mais problemáticas da internet. Para combater esta prática, as instituições bancárias estão orientando seus correntistas a não fornecerem, em hipótese alguma, quaisquer informações de suas contas via e-mail.
b) sniffing
É o procedimento realizado por uma ferramenta conhecida como Sniffer . Esta ferramenta, constituída de um software ou hardware, é capaz de interceptar e registrar o tráfego de dados em uma rede de computadores. Conforme o fluxo de dados trafega na rede, o sniffer captura cada pacote e eventualmente decodifica e analisa o seu conteúdo. O sniffing pode ser utilizado com propósitos maliciosos por invasores que tentam capturar o tráfego da rede com diversos objetivos, dentre os quais podem ser citados, obter cópias de arquivos importantes durante sua transmissão, e obter senhas que permitam estender o seu raio de penetração em um ambiente invadido ou ver as conversações em tempo real.
c) hoaxing
Consiste em qualquer tipo de boato disseminada através de e-mail ou aplicativos de mensagens instantâneas com notícias falsas sobre qualquer assunto, como por exemplo, alertas sobre vírus inexistentes, campanhas para arrecadar fundos para instituições falsas ou mensagens absurdas ou infundadas
d) spoofing
Técnica sofisticada utilizada por hackers e crackers que os permite acessar sistemas controlados passando-se por pessoa autorizada a fazê-lo.
e) spamming
Quando um utilizador decide enviar demasiadas vezes a mesma mensagem para o mesmo canal. Este comportamento é completamente contrário à Netiquete (é a etiqueta que se recomenda observar na internet. A palavra pode ser considerada como uma gíria, decorrente da fusão de duas palavras: o termo inglês net (que significa "rede") e o termo "etiqueta" (conjunto de normas de conduta sociais). Trata-se de um conjunto de recomendações para evitar mal-entendidos em comunicações via internet, especialmente em e-mails, chats, listas de discussão, etc. Serve, também, para regrar condutas em situações específicas (por exemplo, citar nome do site, do autor de um texto transcrito, etc.)


73. No que tange a ciclo de vida de sistemas de software, um modelo sugere uma abordagem sistemática e sequencial no desenvolvimento, que começa com a especificação de requisitos pelo cliente e progride ao longo do planejamento, modelagem, construção e implantação, culminando com a manutenção progressiva do software acabado. Esse modelo é conhecido como:
a) em espiral
O modelo espiral para engenharia de software pode ser considerado como o modelo mais realista para o desenvolvimento de sistemas grandes. Ele usa uma abordagem "evolucionária" habilitando o desenvolvedor e o cliente a entender e a reagir aos riscos na evolução de cada nível. Usa o mecanismo de prototipação (é um processo que habilita o desenvolvedor a criar um modelo do software que deve ser construído) como um mecanismo de redução, mas mais importante, habilita o desenvolvedor a aplicar a prototipação (é um processo que habilita o desenvolvedor a criar um modelo do software que deve ser construído) em qualquer estágio na evolução do produto. Mantém também a abordagem por etapas do modelo clássico, mas incorpora uma estrutura interativa que reflete de forma mais realista o mundo real. O modelo espiral demanda uma consideração direta dos riscos técnicos em todos os estágios do projeto, e se propriamente aplicado, reduziria os riscos antes que eles se tornem problemáticos.
b) em cascata
Ou Waterfall é apropriado para sistemas transacionais onde as rotinas e procedimentos a serem automatizados são altamente estruturados. A principal desvantagem desta abordagem é o alto custo de correção das especificações quando nas fases de Teste e Implantação. Nesse ciclo, nenhum tipo de modelo é criado, não são utilizadas técnicas de estruturação e quase não existe oportunidade para o usuário realizar alguma alteração em pontos dos requisitos congelados. As atividades são realizadas em seqüência e não existem retornos entre as atividades e toda a documentação é produzida após o término do projeto. Assim, fica evidente que os projetos realizados com este ciclo de vida se Engenharia de Software  caracterizam pela alta incidência de manutenção, pois estão sujeitos a poucas alterações  durante o desenvolvimento.
c) incremental
Modelo que divide o desenvolvimento do sistema em partes (módulos), cada uma das quais é  desenvolvida seguindo as fases do modelo waterfall. Tem como características liberar porções de código mais cedo, porém requer cuidadoso planejamento. O desenvolvimento incremental parece ser uma opção melhor para sistemas grandes, pois proporciona liberação por partes, exibindo resultados úteis já nos primeiros momentos do projeto. Na prática, funciona como se o sistema fosse dividido em subsistemas, e para cada subsistema houvesse a aplicação de um ciclo em cascata. Portanto, em vez de fazer análise de todo o sistema, é feita a análise de apenas parte do sistema; porém, esta análise precisa estar concluída para que seja iniciado o projeto.
d) orientado a objetos
É um paradigma de análise, projeto e programação de sistemas de software baseado na composição e interação entre diversas unidades de software chamadas de objetos.
Conceitos essenciais
Classe - representa um conjunto de objetos com características afins. Uma classe define o comportamento dos objetos através de seus métodos, e quais estados ele é capaz de manter através de seus atributos. Exemplo de classe: Os seres humanos.
Objeto / instância - de uma classe. Um objeto é capaz de armazenar estados através de seus atributos e reagir a mensagens enviadas a ele, assim como se relacionar e enviar mensagens a outros objetos. Exemplo de objetos da classe Humanos: João, José, Maria
Atributo - são características de um objeto. Basicamente a estrutura de dados que vai representar a classe. Exemplos: Funcionário: nome, endereço, telefone, CPF,...; Carro: nome, marca, ano, cor, …; Livro: autor, editora, ano. Por sua vez, os atributos possuem valores. Por exemplo, o atributo cor pode conter o valor azul. O conjunto de valores dos atributos de um determinado objeto é chamado de estado.
Herança (ou generalização) - é o mecanismo pelo qual uma classe (sub-classe) pode estender outra classe (super-classe), aproveitando seus comportamentos (métodos) e variáveis possíveis (atributos). Um exemplo de herança: Mamífero é super-classe de Humano. Ou seja, um Humano é um mamífero. Há herança múltipla quando uma sub-classe possui mais de uma super-classe. Essa relação é normalmente chamada de relação "é um"
Encapsulamento - consiste na separação de aspectos internos e externos de um objeto. Este mecanismo é utilizado amplamente para impedir o acesso direto ao estado de um objeto (seus atributos), disponibilizando externamente apenas os métodos que alteram estes estados. Exemplo: você não precisa conhecer os detalhes dos circuitos de um telefone para utilizá-lo. A carcaça do telefone encapsula esses detalhes, provendo a você uma interface mais amigável (os botões, o monofone e os sinais de tom)
e) baseado em componentes
Engenharia de Software Baseada em componentes - é um ramo de Engenharia de Software, com ênfase na decomposição dos sistemas, em componentes funcionais e lógicos com interfaces bem definidas, usadas para comunicação entre os próprios componentes. Componentes são considerados como estando num nível de abstração mais alto que do que Objetos e, como tal, não compartilham estado e comunicam-se por troca de mensagens contendo dados.


74. Entre os tipos de Centrais de Serviços, um representa a arquitetura mais comumente encontrada nas organizações, tendo toda a sua infraestrutura implementada em um local físico diferente da localização dos serviços de TI, geralmente junto ao ambiente de Data Center. Apresenta, como vantagens, a otimização de sua capacidade e o alto grau de escalabilidade. Essa Central de Serviços é do seguinte tipo:
a) local
São criadas para atender necessidades locais de cada unidade de negócio. Este tipo de estrutura é escolhido quando há necessidades especificas, onde o atendimento é facilitado devido ao fato da equipe de suporte já estar implantada no local. A arquitetura local é viável para organizações que possuem grande centralização física da sua estrutura organizacional. Porém, apresenta como desvantagem a dificuldade de escalabilidade da capacidade de atendimento da Central de serviços, pois disputa espaço físico com a própria organização.
b) distribuída
Estão localizadas em vários lugares, ate mesmo em países diferentes. Há ainda outra escolha entre: um ponto de contato central, pontos de contato locais, uma central de atendimento.
c) descentralizada
d) centralizada
Se a organização de TI é responsável tanto pela provisão do serviço (Sistemas de Informações) quanto pelo suporte ao uso dos Sistemas de Informações, será melhor se o usuário puder se comunicar com a Central de Serviços como um ponto único de contato. Desse modo a Central de Serviços de TI é responsável pelo recebimento, registro, monitoração e encaminhamento das chamadas
e) virtualizada
Será considerada de arquitetura virtualizada quando sua infra-estrutura estiver distribuída por diferentes locais físicos, seja em âmbito nacional ou internacional.


75. As boas práticas de Governança Corporativa convertem princípios em recomendações objetivas, alinhando interesses com a finalidade de preservar e otimizar o valor da organização, facilitando seu acesso a recursos. Nesse contexto, o princípio da Responsabilidade Corporativa preconiza que os agentes de governança devem cumprir o seguinte preceito:
a) tratar com justiça todos os funcionários nos seus ambientes de trabalho, evitando a adoção de políticas ou atitudes discriminatórias de qualquer natureza.
b) incentivar o uso das redes sociais para melhorar a comunicação entre os funcionários das organizações, visando à maximização de lucro.
c) zelar pela sustentabilidade das organizações, incorporando considerações de ordem social e ambiental na definição dos negócios e operações.
d) implementar novas tecnologias de mercado, com o objetivo de aumentar a produtividade e competitividade das organizações.
e) prestar contas de seus atos e atuação, assumindo integralmente as consequências de seus atos e omissões.
Só acrescentando:
Responsabilidade (accountability) – Os princípios da governança corporativa requerem de todos os envolvidos que identifiquem e articulem as suas responsabilidades e as suas relações; considerem quem é responsável por que, perante quem, e quando; o reconhecimento da relação existente entre as partes interessadas (stakeholders) e aqueles a quem confiam a gestão dos recursos; e que apresentem resultados. Requer também uma compreensão clara e apreciação dos papéis e responsabilidades dos participantes no quadro da governança. O afastamento destes requisitos impede a organização de conseguir os seus objetivos.


76. No que diz respeito à terminologia utilizada na Gestão da Qualidade, dois termos são definidos a seguir:
I- parte da gestão da qualidade focada no estabelecimento dos objetivos da qualidade e que especifica os recursos e processos operacionais necessários para atender a esses objetivos;
II- extensão na qual as atividades planejadas são realizadas e alcançados os resultados planejados.
Esses termos denominam-se, respectivamente:
a) Controle da Qualidade e Eficiência
b) Planejamento da Qualidade e Eficiência
c) Garantia da Qualidade e Eficácia
d) Planejamento da Qualidade e Eficácia
e) Controle da Qualidade e Eficácia
Só acrescentando:
Os quatro princípios universais para a Gestão da Qualidade:
1) DEFINIÇÃO DA QUALIDADE - Cada indivíduo tem sua definição pessoal do que é qualidade, como um conceito primitivo. Se a qualidade for definida como CONFORMIDADE A ESPECIFICAÇÕES, fica estabelecida uma base para um entendimento comum sobre qualidade.
2) Um sistema só será Gerador da Qualidade se for voltado à PREVENÇÃO, ou seja, a eliminação dos erros antes de seu acontecimento.
3) O padrão de desempenho buscado deve ser o ZERO DEFEITOS, quer dizer que deve-se respeitar as especificações.
4) MEDIDAS DA QUALIDADE: Retrabalho, revisões, esperas, tempos mortos, serviços de assistência técnica para reparos, etc. são componentes deste custo, ou seja, a qualidade deveria ser medida pelo custo de perdas com a falta de qualidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário